>>FAO/ONU – destaca tecnologia catarinense entre as “Boas Práticas para o Desenvolvimento Sustentável”

FAO/ONU – destaca tecnologia catarinense entre as “Boas Práticas para o Desenvolvimento Sustentável”

Propriedades conseguiram elevar a produtividade de leite de 4 para até 13 litros por dia, produzindo até 15 mil litros por hectare em um ano

 

A experiência da Epagri com Unidades de Referência Técnica (URTs) que produzem leite à base de pasto utilizando manejo rotativo de pastagens foi mais uma tecnologia incorporada à Plataforma de Boas Práticas para o Desenvolvimento Sustentável da FAO/ONU. Graças a esse conjunto de recomendações de manejo, as propriedades conseguiram elevar a produtividade de leite de 4 para até 13 litros por dia, produzindo até 15 mil litros por hectare em um ano. Também foram constatadas melhoria no bem-estar dos animais, redução na incidência de mastite no rebanho, melhoria na qualidade do leite, aumento da renda e da qualidade de vida dos produtores, entre outras vantagens.

A plataforma é um espaço digital criado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/ONU) para disseminação e compartilhamento de iniciativas replicáveis de boas práticas desenvolvidas na Região Sul do Brasil. O conteúdo, já disponível em português, será em breve traduzido para inglês, espanhol e francês.

Piquetes

O manejo rotativo de pastagens consiste em subdividir uma área maior, onde produção de leite está ou será implantada, em subáreas menores, denominadas piquetes. Assim, é possível controlar o pastejo animal em cada espaço por um período pré-definido, normalmente meio a um dia por piquete. O planejamento forrageiro da propriedade pode ser aprimorado através da introdução de espécies forrageiras de qualidade superior, como as leguminosas, ou com a introdução de sistemas de irrigação na pastagem. O sistema se completa com o treinamento dos agricultores para utilizarem planilhas eletrônicas que permitam melhor gestão da produção.

Essas práticas são implementadas pelos técnicos da Epagri em propriedades particulares selecionadas para servirem como Unidades de Referência Tecnológica (URT). Os agricultores donos de URTs recebem orientação e acompanhamento periódico, com visitas de técnicos a cada 15 dias, aproximadamente. Após a implantação da URT e de um período produzindo dentro das indicações da Epagri, essa propriedade passa a ser modelo para a região e é usada para transferência de tecnologia a outros agricultores, que é feita em dias de campo, visitações ou em atividades específicas.

Atualmente a Epagri conta com 242 URTS de leite a base de pasto, distribuídas por 133 municípios catarinenses. Pouco mais de 45% dos municípios do Estado conta hoje com uma Unidade, a maior parte delas na região Oeste do Estado, um importante polo produtor de leite do Sul do Brasil.

Graças a iniciativas como essa, Santa Catarina conquistou recentemente a posição de quarto maior produtor de leite do Brasil, superando Goiás, um tradicional fornecedor do produto.

http://boaspraticas.org.br/index.php/pt/areas-tematicas/agricultura/730-leiteepagri

 

Informações e entrevistas

Felipe Jochims, pesquisador do Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da Epagri, em Chapecó, pelo fone (49) 2049-7565.

2017-11-21T16:28:16+00:00

Comentários

Gilmar Germano Jacobowski

2017-11-21T16:28:16+00:00

Deixar Um Comentário